volta - Alô Escola

Regência Verbal   
 
 

Onde, aonde
"esqueça aonde estou" ou "esqueça onde estou"

"Onde" ou "aonde"? Muitos temos essa dúvida. Nem vale a pena tentarmos esclarecê-la por meio dos textos literários, porque não é incomum que grandes escritores utilizem as expressões de modo diferente do que é pregado pela gramática normativa. A diferença entre "onde" e "aonde" é relativamente recente.

Preste atenção no trecho desta canção, "Domingo", gravada pelos Titãs:

... não é Sexta-Feira Santa
nem um outro feriado
e antes que eu esqueça aonde estou
antes que eu esqueça aonde estou
aonde estou com a cabeça?

"Aonde eu estou" ou "onde estou"? A resposta a essa pergunta seria: "Estou em tal lugar", sem a preposição "a". As gramáticas ensinam que, não havendo a preposição "a", não há motivo para usar "aonde". Assim, a forma correta na letra da canção seria:

... e antes que eu esqueça onde estou
antes que eu esqueça onde estou
onde estou com a cabeça?

Vamos a outro exemplo, a canção "Onde você mora", gravada pelo grupo Cidade Negra:

... Você vai chegar em casa
eu quero abrir a porta.
Aonde você mora
aonde você foi morar
aonde foi?
Não quero estar de fora...
Aonde está você?

Quem vai vai a algum lugar. Portanto a expressão correta nesse caso é "aonde". Aonde você foi?
Mas quem mora mora em algum lugar. Quem está está em algum lugar. Nesse caso, a construção correta seria "onde":

Onde você mora?
Onde você foi morar?
Onde está você?

A palavra "onde" indica lugar, lugar físico e, portanto, não deve ser usada em situações em que a idéia de lugar, metaforicamente que seja, não esteja presente. Veja agora este trecho da canção "Bete Balanço", gravada pelo Barão Vermelho:

Pode seguir a tua estrela
o teu brinquedo de star
fantasiando um segredo
o ponto aonde quer chegar...

Ensinam as gramáticas que, na língua culta, o verbo "chegar" rege a preposição "a". Quem chega chega a algum lugar. A preposição é usada quando queremos indicar movimento, deslocamento. Portanto na letra acima a regência está correta: O ponto aonde você quer chegar.

Eu chego ao cinema pontualmente.
Eu chego a São Paulo à noite.
Eu chego a Brasília amanhã.

Na linguagem coloquial, no entanto, é muito comum vermos construções como "eu cheguei em São Paulo", "eu cheguei no cinema". Não é estranho trocar "onde" por "aonde" na língua do dia-a-dia ou em versos de letras de músicas populares, em que fatores como o ritmo e a melodia às vezes obrigam a uma determinada escolha gramatical para obter o efeito desejado.

De todo modo, conforme a norma culta, utilize "aonde" sempre que houver a preposição "a" indicando movimento: ir a / dirigir-se a / levar a / chegar a .