volta - Alô Escola

Regência Verbal   
 
 

Pronome relativo precedido de preposio

Tempos atrás foi exibido, na televisão, um anúncio cujo texto dizia:

... a marca que o mundo confia.

Acontece que quem confia confia em. Logo, o correto seria dizer: "... a marca em que o mundo confia".

Na linguagem informal, diz-se em geral "A rua que eu moro", "Os países que eu fui", "A comida que eu mais gosto". Conforme a norma culta, as construções corretas seriam "A rua em que moro", "Os países a que fui", "A comida de que mais gosto".

Vejamos um exemplo retirado da letra da música "Gostava tanto de você" (Edson Trindade), cantada aqui por Tim Maia:

...Pensei até em me mudar, lugar qualquer que não exista o pensamento em você ....

Em outra versão, Leila Pinheiro corrige e canta:

... lugar qualquer em que não exista o pensamento em você ...

Leila Pinheiro ajustou o verso à norma culta. Se esse pensamento existe em algum lugar, o correto seria dizer "lugar qualquer em que não exista o pensamento em você".
Trata-se do emprego da preposição com o pronome relativo "que".

Na linguagem do dia-a-dia e em textos escritos mais conforme o padrão coloquial (caso das letras de MPB), essa preposição desaparece. É comum as pessoas dizerem "A empresa que eu trabalho". Mas, na forma culta, a construção recomendada é "A empresa em que trabalho".