volta - Alô Escola

Regência Verbal   
 
 

Os verbos "esquecer" e "lembrar"

Uma letra da dupla Roberto e Erasmo Carlos, "Emoções", traz uma estrutura que não seria admissível na linguagem escrita padrão:

... são tantas já vividas
são momentos que eu não me esqueci...

Ocorre que a sintaxe do verbo "esquercer" funciona da seguinte maneira:

Se eu me esqueci, eu me esqueci de
Quem se esquece esquece-se de algo
Quem esquece esquece algo

Logo, conforme a regência culta desse verbo, o correto seria dizer "são momentos de que não me esqueci". Pode-se, também, eliminar a preposição "de" e o pronome "me". Nesse caso, a frase ficaria assim: "são momentos que eu não esqueci".

Em um jornal de grande circulação o texto de uma campanha afirmava: "A gente nunca esquece do aniversário de um amigo".

A norma culta mandaria escrever:

A gente nunca esquece o aniversário de um amigo.
A gente nunca se esquece do aniversário de um amigo.

Vale o mesmo esquema para o verbo "lembrar":

Quem lembra lembra algo

Quem se lembra lembra-se de algo

Se você usar o pronome, isto é, se usar o verbo pronominalmente, então não poderá deixar de lado a preposição:

Eu não lembro o seu nome.
Não conseguia lembrar sua fisionomia.


Se você não usar o pronome, então também não usará a preposição:

Eu não me lembro do seu nome.
Não conseguia me lembrar de sua fisionomia.

Evidentemente essa regência nem sempre é observada na linguagem mais informal, familiar. Vejamos o que ocorre na canção "Lembra de Mim", cantada por Ivan Lins. A letra é de Vítor Martins:

Lembra de mim
dos beijos que escrevi
nos muros a giz
Os mais bonitos continuam por lá
documentando que alguém foi feliz
Lembra de mim
nós dois nas ruas
provocando os casais...

De acordo com a gramática normativa, o título da canção e a letra estariam errados. Deveria ser "Lembra-se de mim..."

No dia-a-dia as pessoas não falam com esse rigor, com essa consciência do sistema de regência. Dessa forma, podemos dizer "lembra de mim", sem problema, dependendo do registro usado. A língua falada permite essas licenças, e a poesia musical também, já que não deixa de ser um tipo de língua oral. Mas, na hora de escrever, é conveniente obedecermos àquilo que está nos livros de regência. No texto formal, "lembra-se de mim" é a forma exigível, correta.