volta - Alô Escola

Concordância Verbal   
 
 

Verbo antes do sujeito
"faltaram muitos alunos hoje" ou "faltou muitos alunos hoje"?

É comum ouvirmos as pessoas dizer "Acabou as ficha", "Sobrou quinze", "Falta dez". Certo dia estava escrito num jornal de grande circulação: "Chegou as tabelas do Mundial". Erro tanto mais grave porque se trata de língua escrita, em que a concordância merece maior atenção.

Um exemplo de concordância verbal corretamente observada acha-se na canção de Paulinho da Viola "Quando bate uma saudade".

... Vibram acordes
Surgem imagens
Soam palavras
Formam-se frases...

Nessa canção, Paulinho da Viola canta com muita clareza frases com os verbos colocados antes do sujeito, todas com a concordância perfeitamente observada. Os substantivos estão no plural, os verbos também.
Isso é difícil de ocorrer no nosso dia-a-dia. Seja como for, na linguagem oficial é fundamental estabelecer a concordância:

Acabaram as fichas.
Acabaram-se as fichas.
Sobraram quinze.
Faltam dez.
Restam vinte.
Partiram todos.

Um trecho da canção "Música Urbana", do Capital Inicial, traz um verbo interessante que nem sempre é flexionado corretamente:

Tudo errado, mas tudo bem.
Tudo quase sempre como
eu sempre quis.
Sai da minha frente, que
agora eu quero ver.
Não me importam
os seus atos

eu não sou mais
um desesperado.
Se eu ando por
ruas quase escuras
as ruas passam

Trata-se do verbo "importar". O letrista fez a concordância corretamente: "não me importam os seus atos". Os atos não têm importância, portanto eles não importam. Basta fazer concordar verbo e sujeito: Atos está no plural, então o verbo também deve ficar no plural.