volta - Alô Escola

Formação de Palavras   
 
 

Derivação imprópria
"comício monstro"

É comum ouvirmos expressões como "manifestação monstro", "concerto monstro" ou "comício monstro". Se olharmos no dicionário, vamos conferir que "monstro" é, primeiramente, um ser assustador, pavoroso. Trata-se em primeiro lugar de um nome, um substantivo. Mas veremos também que "monstro" é adjetivo, com a acepção de "muito grande", "fora do comum".

Quando dizemos "espetáculo monstro", por exemplo, usamos a palavra "monstro" como adjetivo, para qualificar. Passa a significar "grande", "muito grande", "excessivamente grande". O emprego de uma palavra fora de sua classe gramatical usual tem um nome: derivação imprópria.

Imprópria por quê? Porque essa derivação foge ao padrão da língua, isto é, determinada palavra está sendo utilizada fora do padrão habitual no qual ela é empregada. Além disso, a derivação ocorre em um processo diferente do usual.

Normalmente, quando queremos fazer uma palavra derivar de outra, acrescentamos prefixos ou sufixos, como podemos observar nos exemplos abaixo:

honesto - desonesto
honesto - honestidade
feliz - infeliz
f eliz - felicidade

A derivação imprópria supõe um processo diferente, bastante enriquecedor. Vejamos a seguir trechos de duas canções em que aparecem exemplos de derivação.

A primeira é "Pobre paulista", gravada pelo Ira!:

Todos os não se agitam
toda adolescência acata
e a minha mente gira
e toda ilusão se acaba...

A outra canção é "Vou tirar você do dicionário", gravada por Zélia Duncan:

Eu vou tirar você de mim assim que descobrir
com quantos nãos se faz um sim
eu vou tirar o sentimento do meu pensamento
sua imagem e semelhança vou parar o movimento
a qualquer momento procurar outra lembrança.

Nas duas letras, a palavra "não" é utilizada como substantivo. "Não" normalmente é um advérbio e modifica verbos: "não vou", "não faço", "não digo". Nas letras que vimos, a palavra aparece como substantivo e tem de ser tratada como tal. Por isso deve fazer a flexão no plural:

"todos os nãos se agitam"
"com quantos nãos se faz um sim"

Não escreva, portanto, "os não", mas sempre "os nãos".