volta - Alô Escola
LOGO Desvendando a Astronomia

Série de 10 programas sobre astronomia, descortinando o céu e ajudando o público a reconhecer os objetos celestes e a saber como andam as pesquisas que permitem a construção de teorias avançadas a respeito da vida no Universo. A primeira inteiramente produzida no Brasil.

IMAGEM
Observatório do Instituto Astronômico e Geofísico


EPISÓDIOS:


OS CAMINHOS DA LUZ
IMAGEM Quais caminhos a luz percorre até se transformar em informações para nós? Como se constrói uma luneta simples para observar o céu? A observação do céu desde o instrumento disponível mais simples, que é o olho humano, até os melhores e mais modernos telescópios.


SOMOS PEQUENOS NO UNIVERSO ?
As distâncias em Astronomia são inimaginavelmente grandes para nós. As escalas de tempo também. Como podemos reduzir em escala o tamanho do sistema solar? Como podemos compreender a passagem do tempo recorrendo à luz e à sombra ou a um fluxo d'água? Cenas gravadas no estádio do Morumbi e no canyon da cidade de Itapeva, no interior de São Paulo, ajudam a responder a essas perguntas. IMAGEM
Esfera Armilar


O COLECIONADOR DE ESTRELAS
IMAGEM
Observatório Nacional do RJ
Quais os objetos celestes que podem ser observados a olho nu? Quais constelações conseguimos reconhecer e como elas se relacionam com as estações do ano? Qual o aspecto dos planetas quando observados através de aparelhos de pequeno porte ? Como utilizar os planetários e observatórios didáticos para aprender um pouco mais sobre astronomia?


LUA: DA PAIXÃO À CONQUISTA
Como se dão os eclipses? Qual é a relação entre as fases da Lua e as marés? Cenas de um eclipse lunar visto da praia de Paúba, no litoral norte de São Paulo, ajudam a traçar essa relação. Como foi que chegamos à Lua? Isso representou uma conquista da Humanidade? IMAGEM


AS FRONTEIRAS DO SISTEMA SOLAR
IMAGEM
Sistema Solar
Quais os principais constituintes de nosso Sistema Solar? Como funciona o Sol? E as estrelas cadentes? E os cometas? Quais novas visões desse sistema as pesquisas nos têm propiciado? Qual o papel das sondas espaciais na pesquisa desse sistema?


A EXPLORAÇÃO ESPACIAL
Desde meados dos anos 50 exploramos o exterior de nosso planeta. De lá para cá, a indústria do espaço vem realimentando a tecnologia e a ciência para acelerar o seu próprio desenvolvimento. Conquistas modernas na área da informática e alta tecnologia se devem à exploração espacial. As telecomunicações e o sensoreamento remoto são algumas das aplicações que envolvem o Brasil no clube fechado de países que produzem essa tecnologia. Cenas no INPE - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais -, em São José dos Campos (SP), nos ajudam a enfocar o papel do Brasil nessa área. IMAGEM
Onibus Espacial / foto NASA


ESTRELAS COLORIDAS
IMAGEM
Observatório do IAG / USP
Como evoluem as estrelas? É mesmo possível que a estrela que vemos hoje no céu possa já ter desaparecido séculos antes? As estrelas têm cores diferentes?


DO GEOCENTRISMO AO HELIOCENTRISMO
Durante muito tempo se pensou que o centro do Universo fosse a Terra. Mas depois o Sol passou a ser visto como o centro de tudo. A Ciência fala hoje de um Universo mais amplo, com galáxias e quasares. E onde está, afinal, o centro de tudo? IMAGEM


OS MISTÉRIOS DO UNIVERSO
IMAGEM
Pulsar / foto NASA
Alguns objetos celestes têm nomes estranhos que nem sempre correspondem às suas funções. Como compreender os pulsares que não pulsam? E os quasares, que são galáxias sem sê-lo? Como são as fases finais da evolução de uma estrela muito massiva? E os buracos negros? Eles são mesmo negros?


A VIDA NO UNIVERSO
Existem seres vivos fora da Terra? O que significa a busca científica de vida inteligente fora de nosso planeta, partindo do conceito de vida que temos? As comunicações como principal via de acesso à vida inteligente, esteja ela onde for, na imensidão do Cosmo. IMAGEM

Sobre a série

Apresentada pelo físico Walmir Cardoso, a série foi gravada no Instituto Astronômico e Geofísico da USP e nos observatórios astronômicos do Laboratório Nacional de Astrofísica, em Brasópolis (MG); Capricórnio, em Campinas; Rádio Telescópio de Itapetinga, em Atibaia; e Centro de Divulgação da Astronomia (CDA), em São Carlos, Estado de São Paulo.

Olhando para o Céu destina-se ao público em geral, mas seu firme propósito é o de estimular os jovens a pensar com seriedade em uma carreira científica. Por isso mesmo, seus 10 episódios foram concebidos para servir também de material de apoio a professores e estudantes de 1° e 2° graus.



Ficha técnica:

Conteúdo, Assessoria e apresentação: Walmir Cardoso
Chefia do Departamento de Arte: Lino Ribolla
Arte e abertura: Horácio Oka, Luís Scarabel Jr, Helena Perim, Marcelo Marassá
Efeitos especiais: Max Figueiredo, Renato dos Santos, Sílvio Galvão
Imagens: Edgar Luchetta
Iluminação: Sílvio Mongelos
Editor de Pós-produção: Anselmo José Ferreira
Sonoplastia: Nilton Alfani
Eugênio Pedro Franciono
Assistente de produção: Marcos Mainardi, Rosyres Oppido
Produção: Roseli Ferro
Roteiro, Trilha Sonora e direção: Cleston Teixeira
Chefe Depto. Produção Executiva II: Nádia Hatori
Gerência de Produção: Luiz Eduardo Crescente